HOMEM SE APOSENTA MAIS E CONSEGUE BENEFÍCIO MAIOR

Request could not be processed : UAE

Resultado de imagem para previdencia social

*Trabalhadoras Ganham Menos

As mulheres se aposentam menos por tempo de contribuição e com o benefício menor do que os homens, segundo dados da Previdência Social.

*Proporção

De acordo com os números da Previdência, com recorte no mês de julho de 2018, para cada mulher aposentada por tempo de contribuição, 1,71 homem conquistou o benefício

A proporção é de praticamente uma trabalhadora se aposentando para dois trabalhadores

*Benefício é MENOR

Nesse benefício, as seguradas ganham, em média, R$293,00 a menos que aos homens por mês, que dá R$3.809,00 em um ano, considerando o 13º salário.

II-VALOR MÉDIO DA APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

-Homens: R$2.339,00

-Mulheres: R$2.046,00

III- PARA CADA MULHER NO BENEFÍCIO POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO, HÁ QUASE DOIS HOMENS COM A APOSENTADORIA

Para cada mulher que se aposentou por tempo de contribuição em junho de 2018, mês utilizado como base para a avaliação atuarial de 2019, apresentada na entrega da PEC (proposta de emenda a Constituição) de reforma previdenciária, praticamente dois homens conseguiram o mesmo benefício.

Além disso, enquanto elas ganham R$2046,00 em média, eles recebem R$2339,00 por mês. A diferença de R$293,00 chega a R$3.809,00 em um ano, considerando o 13º salário. O motivo pode ser explicado pelas dificuldades que as mulheres encontram no mercado de trabalho.

Elas ganham, em média, 20% a menos, segundo dados do IBGE com base nos salários de  2018, ficam fora do mercado para cuidar dos filhos e deixam de pagar o INSS, o que prejudica não só a média salarial, mas também a capacidade de pedir o benefício por tempo de contribuição, que exige ao menos 30 anos de pagamentos delas.

Mesmo assim, na reforma, as mulheres serão as mais prejudicadas, pois as regras, de fato, mudarão só para elas no que diz respeito à  idade mínima da aposentadoria por idade.

Hoje, os homens se aposentam, no benefício por idade, aos 65 anos. As mulheres podem pedir essa aposentadoria aos 60 anos. Na reforma, porém, elas só vão poder se aposentar aos 62 anos. Os homens vão manter o mesmo direito.

Estudo feito pelo Dieese (departamento de estatística) mostra o prejuízo às mulheres. Além da idade mínima, elas serão prejudicadas no tempo de contribuição maior que é de 62 anos de idade  e na Pensão por Morte, entre outros.

REGRAS QUE DEVEM SER DIFERENTES, DIZ SOCIÓLOGO.

Embora o Governo reconheça as diferenças atuais entre homens e mulheres, a justificativa para elevar a idade mínima das seguradas é o fato de que elas vivem mais e, portanto, custam mais aos cofres públicos.

Para Clemente Ganz Lúcio, sociólogo e diretor técnico do DIEESE, é preciso ter regras diferentes, “justamente por que a mulher ainda tem um conjunto de responsabilidades que faz com que elas tenham jornadas de trabalhos maiores que os homens”.

 * REGRAS HOJE:

1-Aposentadoria Por Tempo De Contribuição

– Não há idade mínima

– É possível se aposentar com:

MULHERES – 30 anos de contribuição ao INSS

HOMENS –    35 anos de contribuição ao INSS

2-Benefício Integral

O segurado ou segurada conseguem ter o benefício integral, sem desconto na média salarial, ao somar, na idade e no tempo de contribuição:

-MULHERES: 86 pontos

-HOMENS:    96 pontos

3-Aposentadoria Por Idade

MULHERES: 60 anos

HOMENS:    65 anos

O tempo mínimo de contribuição para ambos são de 15 anos

*MUDANÇAS COM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

A reforma vai acabar com a Aposentadoria Por Tempo De Contribuição. Se a PEC passar, no futuro, só existirá benefício com idade mínima de 62 anos para mulheres, e, 65 anos para os homens.

   *OUTRAS MUDANÇAS

– O tempo de contribuição mínimo será de 20 anos para homens e mulheres

– O benefício integral só será possível com 40 anos de pagamentos

*  CÁLCULO

– Em vez de descartar os 20% dos menores salários, como é feito hoje, serão considerados todos os salários desde julho de 1994

– Essa nova regra deverá diminuir a média salarial dos segurados

*REGRAS DE TRANSIÇÃO

Na transição, haverá a possibilidade de escolher três regras: idade mínima, tempo de contribuição e pontos; neste caso, elas seguem com tempo, idade e pontuação menor.

FONTE: JORNAL AGORA

Folha De São Paulo, 18  De Março De 2019